terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O Novo Ano

Nos últimos dias, ando muito inspirada. Às vezes as idéias me atropelam e fogem de mim antes que eu possa torná-las palavras concretas, e por mais que eu lhes persiga, são poucas as que me restam, mas são nessas que me apego, e paciência. Entretanto, voltando ao foco... Ando muito inspirada nesse tempo, nesse tempo hoje, ontem e ainda mais amanhã! Quanto mais perto daquele dia em que todos comemoram sem saber ao certo por que, mais idéias e esperanças batem na minha porta, ou entram pela janela como a brisa. Acredito eu, que seja esse devastador espírito de ano novo!
Toda essa fé que quase o mundo todo deposita em um dia, um dia que poderia ser tão comum quantos os outros, mas que possui uma carga sobrenatural depositada em suas costas por mais da metade da população mundial, que aproveita pra acreditar num amanhã, que lhes faltou durante um ano. O nosso feriado de Ano Novo, é um pretexto para reerguer promessas não cumpridas, é uma desculpa pra acreditar que nesse novo ano, tudo vai acontecer diferente. E eu nem me atrevo a criticar, pois faço parte dessa enorme montanha de gente que acredita que neste dia, pó de pirlimpimpim vai escorregar do céu e se espalhar por todo o nosso planeta, derrubando intensas porções de milagre por todos nós, enquanto comemos um belo e gordo bicho assado e bebemos muita cerveja. Tolos, todos nós.
O ano novo, é sim um período onde há uma brecha da rigidez cotidiana que permite mudanças. Mas não mudanças que vão cair do céu, e sim, mudanças que estão a nossa espera, que estão na nossa frente aguardando arregaçarmos as mangas. Mudanças que acontecem, a partir do momento que tomamos vergonha na cara e passamos a acreditar em nós mesmos. E esse dia, poderia na verdade, ser qualquer outro desse longo ano de pressa que a maioria de nós vive, bastaria tomarmos coragem pra fazer a diferença.
Mas afinal, já que é pra brincarmos de acreditar que a magia está no ar, use e abuse das superstições, porque é saudável e eu garanto! Ao menos gostosas risadas, com certeza enfeitarão sua virada. No ano passado, pulei sete ondas, me vesti toda de branco e usei uma calçinha colorida porque sou ambiciosa! Deu certo... Tive muita saúde, muita felicidade, amor e paixão de sobra, a esperança não me faltou, e o dinheiro pois comida na mesa. Então, amém! Nesse ano, vou acender uma vela azul harmoniosa, deixar queimar um incenso e trancar a porta de casa comigo pra fora. Vou ver fogos de longe, sonhar com a água batendo nas canelas, fantasiar as flores nos braços de Iemanjá, abraçar os amigos e dormir nos braços do amor da minha vida, que a calçinha colorida me trouxe! E talvez eu plante uma árvore, bem verde, pra não faltar fé nem esperança pra esse mundo de gente perdida...
E assim, além de um feliz ano novo, vergonha na cara pra todo mundo, que mesmo tardando um ano, tem agora escancarado um dia pra fazer o que adiou todo esse tempo!
Um bom dia de fazer diferente, primeiramente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário